Acossado, Lula negou que tenha conquistado seus 7 títulos honoris causa sob efeito de doping
AUSTIN – Em entrevista ontem à noite à apresentadora Oprah Winfrey, o ciclista Lance Armstrong admitiu que, a partir da chegada de Lula à presidência da República, em 2002, ele e sua equipe passaram a se dopar, graças a um esquema montado por José Dirceu desde o quarto andar do Palácio do Planalto. “Até então, jamais passara pela minha cabeça infringir as leis do esporte e competir usando substâncias proibidas, mas aí me apareceu o Dirceu com um esquema tão azeitado e bem feitinho que fiquei tentado”, confessou o ex-atleta. “A princípio, resisti, até Dirceu me assegurar que todos estavam se dopando, e que esta era a regra do jogo. Se eu não me adequasse, na melhor das hipóteses acabaria disputando a Volta do Acre.” Soluçando, Armstrong desabafou: “Dirceu foi minha ruína.”


Em entrevista coletiva, o procurador geral da República, Roberto Gurgel, anunciou ter provas "concretas e irrefutáveis" de que Dirceu fornecia material de doping regularmente a atletas de diversas nacionalidades. "Pelo menos uma vez por mês, o petista turbinava um boxeador cubano, um saltador venezuelano e um maratonista do PMDB", denunciou.



No final da tarde, a juventude petista organizou um novo evento para apoiar Dirceu. "Vamos dar treze voltas de bicicleta na Praça dos Três Poderes", bradou Ernesto Castro.