Header Ads

ad

Índia: Violência contra os Cristãos alastra-se para fora do estado de Orissa


Cristãos e ativistas sociais protestam contra a recente violência comunal no estado oriental de Orissa, em Nova Deli, sexta-feira, 29 de Agosto, 2008.(AP Photo/Saurabh Das)


A onda de ataques brutais contra os Cristãos no estado oriental Indiano de Orissa tem vindo a alastrar-se para outras partes do país.
De acordo com o Gospel for Asia (GFA, Evangelho para a Ásia), as igrejas estão a ser alvo de ataques em Jharkhand e Karnataka, um estado da costa ocidental da Índia.
No Domingo, pelo menos 11 igrejas em Karnataka foram destruídas por revoltosos Hindus.
Um missionário da GFA relatou que a sua igreja tinha sido incendiada por uma multidão de extremistas, enquanto que outro missionário da GFA disse que extremistas tinham partido janelas, luzes e instrumentos musicais num ataque à sua igreja.
“A Índia está numa situação assustadora,” diz o presidente da GFA, KP Yohannan. “Mas nós sabemos que, no fim de contas, o futuro é positivo porque Jesus está com a Sua igreja.”
A Comunhão Evangélica da Índia (EFI, sigla em Inglês) disse que os grupos revoltosos Hindus tinham morto a tiro quatro polícias e incendiado uma esquadra da polícia no tumultuoso distrito de Kandhamal, do estado de Orissa.
Os Cristãos continuam a realizar reuniões de oração e protestos contra a violência. Milhares tem procurado refúgio em campos improvisados pelo governo.
O secretário-geral do Conselho Cristão da Índia, John Dayal, disse que a “precisão militar” dos ataques às igrejas em Mangalore, Karnataka, implica a existência um plano “meticuloso” da parte dos extremistas.
A EFI afirmou que cerca de 50 pessoas tinham sido detidas pela polícia até agora em ligação com os ataques às igrejas.
Yohannan realçou que a violência estava a ser perpetrada pelos extremistas Hindus, em oposição à corrente dominante de Hindus pacíficos.
“Estas pessoas não representam a maioria dos Hindus, ou o povo Indiano em geral,” disse Yohannan. “Esta violência é dirigida por um pequeno grupo de fanáticos que estão a dar um mau nome à Índia. Devemos orar pelo povo da Índia, e pelos seus líderes, para que a paz possa regressar a esta terra.”


Nenhum comentário