Ranking mede a corrupção dos países




A corrupção pode acontecer em qualquer lugar. Quando políticos colocam seus interesses em cima dos interesses do povo. Quando oficiais exigem dinheiro e favores dos cidadãos em troca de serviços que deveriam ser de graça. A corrupção não é apenas um envelope cheio de dinheiro.
Nós sabemos que a corrupção é um problema no mundo todo. Mas o quão ruim é isso, e o que pode ser feito? O Índice de Percepção da Corrupção mostra o nível da corrupção em países do mundo. Baseado na opinião de especialistas, os países são avaliados com uma nota de 0 (alta corrupção) a 100 (país íntegro).


Nesse índice alguns países tiveram uma boa nota, mas nenhum país atingiu o perfeito 100. E dois terços dos 176 países ranqueados no índice de 2012 tiveram uma nota abaixo dos 50, mostrando que as instituições públicas precisam ser mais transparentes, e os poderosos mais responsáveis.


“Nós temos que garantir que existem reais consequências para a corrupção. “Não à impunidade” não pode ser apenas um slogan – ela deve ser realizada com todas as nossas forças combinadas e inspirar cidadãos a falar e não mais tolerar a corrupção,” afirma Huguette Labelle, presidente da Transparency International.
Seguem agora a lista dos dez países menos corruptos e também dos mais, lembrando que o Brasil ficou na 69ª posição com uma nota de 43.
Menos Corruptos
1- Dinamarca (90)
1- Finlândia (90)
1- Nova Zelândia (90)
4- Suécia (88)
5- Cingapura (87)
6- Suíça (86)
7- Austrália (85)
7- Noruega (85)
9- Canadá (84)
9- Holanda (84)

Mais Corruptos
174- Somália (8)
174- Coreia do Norte (8)
174- Afeganistão (8)
173- Sudão (13)
172- Mianmar (15)
170- Uzbequistão (17)
170- Turquemenistão (17)
169- Iraque (18)
165- Venezuela (19)
165- Haiti (19)

O ranking completo você encontra aqui.

Share this:

SOBRE O AUTOR

Paulo Matheus Souza de Souza nasceu em 1989, na cidade Porto Alegre. É engenheiro civil e trabalha com pesquisa na área. Começou a escrever cedo, junto com os irmãos, primos e amigos. Juntos, eles fundaram uma “editora”, chamada Scott, onde o que mais faziam basicamente histórias em quadrinhos. Com o tempo, o autor passou a escrever histórias mais longas, algumas até hoje inacabadas. Em 2008 começou a escrever contos e crônicas neste blog pessoal.

0 comentários: