Quem não gostaria de ter um Castelo?



Quem não gostaria de ter um Castelo? Não que os hábitos da idade média seriam atraentes atualmente, mas com certeza, as belezas de um castelo ficariam bem relevantes em se tratando de sonhos de consumo de moradia. Pois espaço é que não falta.
Imagine-se num lugar bem afastado de moradias, longe, de clima serrano. Pense então se nas férias de verão sua lista de lugares para ir tivesse as seguintes opções: casa do avô gaga, praia lotada, pescaria monótona, em casa penando, estudando (???), fugir de casa (antiga FEBEM), acampar em lugares proíbidos ou ir para um Castelo SÓ (do verbo apenas) seu?
Sem dúvida sua escolha seria estudar (What?). Explico: você acha que se não estudar vai conseguir ter um castelo como o da foto acima? Ou acha que, por exemplo, algum deputado trabalhador conseguiria comprá-lo com seu minrado salário? Nem que trabalhassem dobrado (imaginem só...).
O mais certo a se fazer é poupar seu salário e, quem sabe, passar umas férias num castelo como esse. Com base nos meus cálculos, digamos que você ganhe, com bolsa família e tudo, R$500,00/mês: gaste R$400,00 em contas de fiado e comida para as cria, e economize o restante. Em um ano são R$1.200. Em vinte anos, seriam R$24.000, se não fosse o fato de você ganhar tão pouco que a cada milhar você tirasse a metade. Nessa conta pra lá de complicada, digamos que tenha sobrado R$5.042,85. Bom, mesmo parecendo engraçado a essa altura, você conseguiria, talvez cinco a seis dias no castelo acima. Um sonho realizado em míseros 20 anos. Ou, se preferir, para adiantar o processo, converse com o dono do castelo. Eles sem dúvida te ouvirão, pois são pessoas honestas e trabalhadoras.
Mas se nenhuma dessas dicas preciosas lhe ajudou, o jeito é continuar sonhando com terras mitológicas, com histórias de Cair Paravel, Távola Redonda, Ra-Tim-Bum, sei lá. Mas de alguma forma você irá conhecer um castelo um dia. Eu tenho certeza.
(Ah, e lembrando a você que tem sonhos castelícios, existem muitos castelos não declarados por ai que podem ser seus e você nem sabe! Não custa levantar esse tipo de hipótese...).
Att.
PMSS

Share this:

SOBRE O AUTOR

Paulo Matheus Souza de Souza nasceu em 1989, na cidade Porto Alegre. É engenheiro civil e trabalha com pesquisa na área. Começou a escrever cedo, junto com os irmãos, primos e amigos. Juntos, eles fundaram uma “editora”, chamada Scott, onde o que mais faziam basicamente histórias em quadrinhos. Com o tempo, o autor passou a escrever histórias mais longas, algumas até hoje inacabadas. Em 2008 começou a escrever contos e crônicas neste blog pessoal.

0 comentários: