A novidade comum


Hoje, estampado nos principais jornais de circulação de Porto Alegre, estava a foto do presidente do Paraguai. ?. Ele é um sujeito notável, pois trocou da função de Bispo católico para presidente. Isso, com o aval do papa Bento DCLXVI.
O fato de encontrarmos padres ou bispos católicos ultrapassando seus limites religiosos e, logo, os nossos próprios limites, já é para lá de comum. É fato. Adultério, que é representado particularmente por pedofilia ou até estupro, é o que mais se ouve falar. Mas o presidente do Paraguai foi um pouco além. Precisou deixar de ser bispo para poder confessar seus pecados. Na verdade o caso de ter tido relações com uma adolescente, ter tido uma filha com ela e não ter assumido antes estrapolou as leis, tanto civis quanto religiosas. Digamos, essencialmente religiosas.
É um pouco difícil criar leis que prendam o homem a sua mente. Jesus mesmo não obrigou ninguém a ser um robô anti-pecado (isso não quer dizer que não seja bom...) pois somos falhos. Já a Igreja Católica sim. Um sujeito chamado Lutero ousou dizer que as criações católicas (robôs) eram falhos, pois em seu tempo podiam fazer coisas absurdas que até o papa duvida (mas na época aprovava). Padres são humanos. E colocar na sua metodologia a castidade é algo desumano. O sentimento de não poder em nenhuma hipótese se relacionar com outra pessoa causa um sentimento tanto de negação quanto de anseio.
Isso se resolve da seguinte maneira: vamos pedir o impeachment do papa, se isso for possível.
Do contrário, vamos, acima de tudo, respeitar a escolha dos padres. Ainda que existam as divergências históricas com os protestantes, pregam a palavra de Deus e do evangelho. E, na medida do possível, dialogar. Nada melhor do que um debate sobre o assunto.


***

O que mais podemos dizer que uma novidade se tornou comum?
1) Mais um vencedor no Big Brohter, e entre 11 e 13 perdedores (que de fato pode ser considerada de NVM - Novidade Comum Manjada.
2) Pessoas morreram vítimas de acidentes de trânsito, envolvendo bebidas alcólicas com volante (se beber não dirija).
3) Pessoas morrem sem sequer dar um último abraço ou um beijo nas pessoas que mais amam. Outras morrem sem sequer dar importância a Palavra de Deus, que preserva acima de tudo a vida.

Uma novidade comum que vêmos a todo o instante são as pessoas. A novidade seria a mudança, mas o comum, a permanência...


PMSS


Share this:

SOBRE O AUTOR

Paulo Matheus Souza de Souza nasceu em 1989, na cidade Porto Alegre. É engenheiro civil e trabalha com pesquisa na área. Começou a escrever cedo, junto com os irmãos, primos e amigos. Juntos, eles fundaram uma “editora”, chamada Scott, onde o que mais faziam basicamente histórias em quadrinhos. Com o tempo, o autor passou a escrever histórias mais longas, algumas até hoje inacabadas. Em 2008 começou a escrever contos e crônicas neste blog pessoal.

0 comentários: