Desejo Reprimido



É uma madrugada fria...

Por que não me escutas?

...

Estou falando contigo...

Nada vai mudar a realidade,

Nem mesmo o seu silêncio.

Eu sei que é difícil assumir.

Sinto o frio que vem de fora

Entrando em meu corpo

Tocando minha alma...

Agonia que não passa

A batida do coração parece,

Parece, parece...

Passos apressados

Que não saem do lugar

-------

Queria que me compreendesse

Sentir a dor que eu sinto

Caminhar pelo Caminho que trilho

Se ao menos demonstrasse interesse.

Poderia ter uma chance

Uma oportunidade única,

A dor que daria alegria

-------

Pode ser demasiadamente tarde o Amanhã

O Hoje pode ser sua última chance.

Depois que estiveres lá

Retorno será inviável

Escute-me, minhas palavras

Simples palavras (futuro complexo)

Nelas há sabedoria,

Imparcialidade

-------

Vou prestar conta mais tarde

Não quero carregar a culpa

Ajude-me

A satisfazer o desejo reprimido

Eternamente

Do meu coração

...

Por: Alexandre D. P de Souza
Publicado originalmente em:
www.alexandre-atg.blogspot.com

Share this:

SOBRE O AUTOR

Paulo Matheus Souza de Souza nasceu em 1989, na cidade Porto Alegre. É engenheiro civil e trabalha com pesquisa na área. Começou a escrever cedo, junto com os irmãos, primos e amigos. Juntos, eles fundaram uma “editora”, chamada Scott, onde o que mais faziam basicamente histórias em quadrinhos. Com o tempo, o autor passou a escrever histórias mais longas, algumas até hoje inacabadas. Em 2008 começou a escrever contos e crônicas neste blog pessoal.

2 comentários:

Anônimo disse...

Nossa até suspirei....
Parabéns Alexandre vc tem talento para escrever!
escreva mais q eu terei o prazer de ler!

Ana Paula

Rakel disse...

Muito lindo o poema! Amei!!