Letras e alienação gratuítas


Este não é um texto da série Texts Unlikely, por que não está apenas descrevendo a importância de um livro, mas sua influência sobre os leitores, principalmente.


Há pouco tempo, no meu blog, eu havia feito propagandas sobre a Missão Nova Vida, que visava distribuir livros cristãos gratuitamente. Muito legal do ponto de vista financeiro, normalmente pagamos para ter a literatura cristã em mãos, pois mesmo sendo um papel nobre dos escritores cristãos divulgar a Palavra de Deus, há sempre custos a serem sanados. Mas como dizem, nem tudo que é de graça é bom...

As vezes as pessoas demorarm a perceber os defeitos no que lhe é dado. Um dos pricipais motivos é que você não teve gastos, isso faz com que se torne mais valorizado o presente, a menos que você conheça o presente e apenas não tinha condições de tê-lo.

No caso dos livros da New Life, que são distribuídos com o bordão de divulgar o evangelho, o defeito era numa tecla, que a imprensa deve ter passado despercebido. E o livro repete incessantemente esse erro: 'O evangelho da Água e do Espírito'. Se fôssemos contar quantas vezes isso está escrito em qualquer livro da coleção, seria perda de tempo a certa altura, tamanha a quantidade de vezes que você encontra.

De começo, eu havia lido apenas o livro sobre o apocalipse do rev. Paul C. Jong (A era do anticristo, Martírio, arrebatamento e do reino milenar está chegando?). Mas não havia me dado conta do erro excessivo. Fui aconselhado por um amigo da Web mesmo, que a Missão Nova Vida tem algo a pregar, mais do que difundir o evangelho. A função desta coletânea e passar a mensagem de que a pessoa tem de aceitar o batismo de Jesus como sendo algo tão impactante quanto sua morte na cruz. Sendo assim, existe um valor inestimável dado a João Batista no enfoque, causando um, digamos, 'envenenamento' na Palavra em si. Não própriamente neste livro, mas em outros que li e que nem cheguei a ler, mas que o título mais do que entrega a função dessa doutrina. E não só pelo detalhe 'da água e do espírito', mas com base em outras resenhas, pude notar que há discordância com a Bíblia, o que prova mais notavelmente que seria mais atrativo distribuir Bíblias com linguagem atual.

Onde quero chegar? Um livro pode muito bem ser guardado numa prateleira. Mas nunca poderá ser eleito seu livro de cabeceira se antes não compreender muito bem o que nele está sendo dito ou pregado. Antes de ler um livro que conta sobre uma nova doutrina, um novo pensamento, seria bem legal se tivéssemos o nosso google mais confiável e com conteúdos mais 'refinados', a Bíblia. Tem que haver comparação. E nunca concordar com o autor se achar algo sem concordância com as escrituras.

Mas tão logo tirei o anúncio. Melhor então achar um de algum site que disponibilize Bíblias. Há pessoas no mundo que não tem acesso ou não tiveram a oportunidade de conhecer a mensagem de Jesus.

^^ PMSS


Share this:

SOBRE O AUTOR

Paulo Matheus Souza de Souza nasceu em 1989, na cidade Porto Alegre. É engenheiro civil e trabalha com pesquisa na área. Começou a escrever cedo, junto com os irmãos, primos e amigos. Juntos, eles fundaram uma “editora”, chamada Scott, onde o que mais faziam basicamente histórias em quadrinhos. Com o tempo, o autor passou a escrever histórias mais longas, algumas até hoje inacabadas. Em 2008 começou a escrever contos e crônicas neste blog pessoal.

0 comentários: