Minha redação do enem - 2010

Depois de muitos meses sem vir aqui pra dar um alô sequer, volto com a minha redação do ENEM 2010. Talvez pelo fato de que lááá em abril do ano passado eu tenha voltado a trabalhar. E muito. Ou talvez por que lááá em novembro do ano passado eu tenha escrito um texto que, raramente na história da humanidade universal inter-galáctica, eu tenha gostado e muito. Sim, era um texto que eu me orgulhava de dizer: Foi eu que fiz! Era muito mais do que eu imaginava escrever. Era. O blogger consumiu com ele. No fundo, a cerca de 200 m de profundidade na minha consciência, eu sabia que não deveria escrever direto no blogspot. Entretanto, são coisas que só me dou conta agora, que já perdi o texto. Eu pensei sério sobre o porquê daquilo... talvez não estaria escrevendo crônicas boas, ou algo do gênero. Enfim, a pouco recebi um email de um contato relacionado à um jornal, o qual publicará um dos meus textos em abril (em breve detalhes). E isso me animou novamente! Depois dessa redação obrigatória, prometo escrever textos extra-curriculares. Mesmo que trabalho e faculdade me tomem todo meu tempo de reflexão.

Esse texto, como os outros do ENEM, não representam o original entregue, já que sempre faço alterações. Erros de português são erros de digitação. Não ficou lá essas coisas...



 O trabalho na construção da dignidade humana


  
Em toda a nossa existência, a vida cotidiana sempre foi marcada por eventos culturais e marcantes que, até hoje, nos servem como inspiração e exemplo. Todos esses eventos, sem dúvida, foram obra de muito esforço e, principalmente, do trabalho de pessoas que sempre buscaram melhorias. O trabalho deixa claro no intelecto humano seu valor primordial para a criação de uma sociedade igualitária.

Apesar de encararmos as tarefas remuneradas apenas como nosso meio de sustento, a importância vai muito além disso. Como acontece, por exemplo, no início da carreira profissional, onde o foco está no aprendizado e no conhecimento que, mais tarde, poderá servir para uma carreira de sucesso. O mercado de trabalho, sem dúvida, é feito para aqueles que buscam na vida profissional uma forma de conciliar uma vida digna para conviver com a sociedade. Mesmo assim, há muitos trabalhadores que fazem do trabalho uma rotina sem acréscimos, que está vinculada apenas ao sustento familiar, com um salário muito indigno e uma carga horária que excede o permitido, sem fazer valer dos seus direitos. Isso evidencia que, mesmo depois da aprovação das leis trabalhistas, muitas pessoas ainda trabalham em condições consideradas desumanas.

A sociedade tem o dever de cobrar sempre por direitos iguais, pois o trabalho tem a mesma importância em qualquer setor de onde é exercido. A dignidade passa pela democracia de direitos, e quando os trabalhadores, independente de sua colocação, possuem seu devido direito como profissional, a liberdade de viver e de se realizar pessoal e profissionalmente será mantido sempre.



Nota no ENEM: 775,00




Share this:

SOBRE O AUTOR

Paulo Matheus Souza de Souza nasceu em 1989, na cidade Porto Alegre. É engenheiro civil e trabalha com pesquisa na área. Começou a escrever cedo, junto com os irmãos, primos e amigos. Juntos, eles fundaram uma “editora”, chamada Scott, onde o que mais faziam basicamente histórias em quadrinhos. Com o tempo, o autor passou a escrever histórias mais longas, algumas até hoje inacabadas. Em 2008 começou a escrever contos e crônicas neste blog pessoal.

0 comentários: