Os primeiros 10 minutos


Quando eu acordo de manhã, meu pensamento está vazio. Não que meu cérebro seja assim durante o resto do dia! Mas isso normalmente acontece pois acordamos de um repouso profundo. São os primeiros momentos do dia (ou da noite para alguns) que me fazem pensar: será esse o momento mais puro do ser humano? Podemos ficar o resto do dia fazendo tudo de errado, mas pela manhã, nos primeiros minutos do despertar, não pensamos em nada, não fazemos nada. Apenas passamos pelo período rápido de: "Quem sou eu? Onde estou?". Logo, sim, sabemos de tudo. Você é aquele domador de leões, que dorme dentro da jaula. Ou o limpador de vidros externos do Empire State, e está atrasado de novo. Mas todos pensamos na mesma coisa nos primeiros minutos de nossa existência diária: em nada!

Bem, isso nos livra de um bocado de coisa ruim. Nos põe numa situação de neutralidade. Mas é pela manhã que nasce uma oportunidade. É difícil não acordar melhor depois de ter descansado (seja um descanso de meia hora, depois daquela festa que a cerveja não quer que você saiba onde foi). Mas depois de um dia terrível, nada melhor do que uma oportunidade no dia seguinte. Alguns dão importância aos sonhos, outros nem sonhos têm. Contudo, os primeiros momentos são reflexivos. Muitos acordam de terno e gravata, prontos para ligar o carro. Outros colocam no 'soneca' do celular, e acabam prolongando o sono e o discurso do chefe.

Quem sabe, agora falando mais perto de onde quero chegar, se nesses, digamos 10 minutos, todos fossem perdoados? E se esses minutos durassem o dia todo? Responda!
Bom, para ser mais direto, se esse momento, seja 10 minutos ou 10 segundos (em casos de seguranças que dormem em serviço e acordam com qualquer buzinaço...), fosse um momento reflexivo, seria sem dúvida muito pouco tempo. Quando Deus criou Adão e Eva, esse momento era eterno, até que a serpente apareceu. E desde lá, o tempo de inocência veio decaindo até chegar nesses supostos 10 minutos de neutralidade (não há comprovações de que sejam 10, há possibilidade de que seja mais, e isso vai depender do que Darwin decidir). Mas, que sendo bem aproveitados, podem render até 4 porções de 10. Ou quem sabe mais? Isso vai depender de cada um. E não podemos esquecer que nesse tempo precioso está afirmado no versículo "O choro pode uma noite durar, mas alegria vem de manhã bem cedo". E que essa alegria dure até a noite!
Bom, acho que eras isso...
Essa crônica tem que ser comentada para que tudo seja exclarecido.
Vou dormir...
PMSS

Share this:

SOBRE O AUTOR

Paulo Matheus Souza de Souza nasceu em 1989, na cidade Porto Alegre. É engenheiro civil e trabalha com pesquisa na área. Começou a escrever cedo, junto com os irmãos, primos e amigos. Juntos, eles fundaram uma “editora”, chamada Scott, onde o que mais faziam basicamente histórias em quadrinhos. Com o tempo, o autor passou a escrever histórias mais longas, algumas até hoje inacabadas. Em 2008 começou a escrever contos e crônicas neste blog pessoal.

0 comentários: